Biblioteca de mídias

Uma biblioteca de mídias é um lugar no meu computador em que eu armazeno uma coleção de filmes, séries de TV, livros e músicas. São filmes que não foram lançados em mídia física no Brasil, ou séries que não estão em nenhum serviço de streaming, ou músicas que eu não encontro no Spotify. Esses são alguns dos itens mais especiais no meu computador. Eles foram difíceis de encontrar, e vão ser difíceis de serem recuperados. Na grande maioria dos casos, essas mídias sobreviveram a várias transições de computador.

Eu mantenho essa biblioteca desde, no mínimo, 2009, e é uma coleção crescente e muito especial pra mim. Seu conteúdo muda com o passar do tempo. Por exemplo, se um filme na biblioteca é lançado em DVD ou em blu-ray, ele sai da minha biblioteca porque agora ele vai para a minha estante. Um exemplo recente é a trilha-sonora de Ela, que até então só existia em forma de um bootleg que apareceu na internet em 2013 e só foi lançada em disco e digital em março de 2021. Em maio de 2021, quando o disco chegou na minha casa, o bootleg saiu da biblioteca.

Essa biblioteca é importantíssima para mim. É uma forma de eu preservar coisas que são muito queridas e que eu não consigo registrar de outra forma. A manutenção e o gerenciamento dessa biblioteca passou por um bocado de mudanças em todos esses anos. Ela já existiu em HDs, DVDs e pendrives. Nos últimos anos, ela existiu em um HD externo que tinha o único propósito de armazenar essa biblioteca.

Abordagem

Nos últimos anos, minha biblioteca de mídias serviu mais como arquivo do que como fonte. Sua utilidade maior era a de armazenar itens que eu não queria perder, e não de consulta e visualização desses itens.

Isso começou a mudar com minhas músicas. Uma das minhas frustrações com o Spotify é o péssimo suporte às bibliotecas de músicas pessoais dos usuários, aquelas que são guardadas em pastas, com álbuns ripados em alta qualidade ou com bootlegs que não estão próprio serviço de streaming. Eu comecei a usar o Apple Music, que integra tanto a biblioteca de música pessoal quanto a do serviço de streaming, sincronizando meus álbuns na minha conta para eu acessá-los no meu celular e até mesmo na interface web. Eu comecei a ouvir bem mais as músicas da minha biblioteca músical, e me reconectei com músicas que eu não ouvia há anos. Eu escrevi sobre esse processo para o Pão.

Na última semana, em que o HD externo, que armazenava a incarnação atual da biblioteca, apresentando os primeiros sinais de falha, eu decidi assumir a mesma abordagem para meus livros, filmes e séries que ficam na biblioteca. Com os livros foi fácil. Bem como o Apple Music, o Apple Books oferece uma maneira prática de sincronizar a biblioteca local com todos os seus dispositivos através do iCloud. Mas filmes e séries, de longe o conteúdo mais pesado e mais difícil de ser recuperado da biblioteca, não há uma solução semelhante.

O macOS oferece um recurso chamado “Compartilhamento de mídia”, uma forma de compartilhar o conteúdo da biblioteca local de músicas, livros, fotos e vídeos de um usuário do computador com pessoas conectadas na rede local através das bibliotecas dos apps Músicas, Livros e TV (os aplicativos que substituiram o iTunes). O Compartilhamento de mídia possui uma maneira de restringir o acesso a apenas dispositivos registrados no mesmo ID da Apple, e eu optei por criar a nova incarnação da biblioteca de filmes e séries usando esse recurso.

Armazenamento

As bibliotecas de música e de livros estão armazenadas no iCloud através dos serviços Music e Books da Apple. Esses serviços criam uma cópia dos meus originais na nuvem e, caso eu cancele o serviço, eles são baixados na minha máquina no diretório de bibliotecas que eu desejar.

A biblioteca do app TV não conta com esse recurso. O acesso aos arquivos dela se dá apenas através da rede local — a opção de “Biblioteca do Mac mini” aparece no iPhone quando conecto na rede da minha casa. A biblioteca de TV requer um processo de conversão e reorganização que vai tomar muito tempo e eu estou fazendo por partes.

Por enquanto, a biblioteca do app TV está sendo armazenada no meu iCloud Drive. Como eu não tenho espaço o suficiente no meu Mac mini para todos os arquivos de vídeo, o iCloud vai enviando esses arquivos e apagando do computador, baixando-os sob demanda quando necessário. Isso não é o ideal. Eu comprei um SSD portátil que está a caminho e, quando ele chegar, todas as bibliotecas — TV, Músicas e Livros — serão migradas para a unidade externa. Isso liberará espaço do meu iCloud Drive no caso da TV. Músicas e Livros continuam sendo sincronizados na nuvem, mas possuirão uma cópia local segura.

Meu consumo de filmes e séries é essencialmente diferente de músicas e livros, eu não vejo filmes no meu celular ou no iPad, por exemplo. Eu só os assisto no Mac ou na TV. Por isso a sincronização pelo iCloud é desnecessária. O acesso através da rede local com o recurso de Compartilhamento de Mídia do macOS já supre minha necessidade de, caso eu queira assistir um episódio de uma série da minha biblioteca, posso enviá-lo para a TV através do AirPlay tanto pelo meu Mac quanto pelo meu iPhone.


Aqui está um mapa de todas as notas nesse jardim: