Irrelefante

Por mais que eu ame o meu Switch, eu fico abismado como a Nintendo cometeu uns erros inacreditáveis no projeto. Pra mim, o pior deles é o que impede que tu carregue o Switch enquanto usa ele no modo tabletop. Como a porta USB-C fica na embaixo do console, você não pode carregar ele enquanto usa o Switch em pé — mas a Nintendo vai resolver isso com um acessório.

Eu vou te dizer que foram poucas as vezes que eu usei o modo tabletop. Ele é bom em momentos bem específicos, como quando tu tá na casa de um amigo e não levou o dock e vocês querem jogar uma partida de Mario Kart 8. Eu uso especificamente quando estou em algum lugar longe do meu dock e quero jogar Super Mario Odyssey, que precisa dos acelerômetros dos Joy-Cons pra algumas ações específicas. Mas, como eu não sou um fã de Odyssey, eu nunca joguei ele muito longe da TV.

O problema é que eu não consigo imaginar uma empresa fazendo uma decisão dessas, colocando a entrada de força do videogame em um lugar inacessível em um dos modos que tu pode jogar ele? A bateria do Switch é boa (comigo dura em torno de cinco horas), mas jogar um cup do Mario Kart reduz a bateria em uns bons 10%. É impressionante que ele seja desenhado de tal forma — mas é mais um dos problemas do Switch que abriu todo um mercado de acessórios, e que agora a Nintendo vai entrar com uma opção mais cara (mas aparentemente mais robusta, o stand parece estabilizar bem o console).

O tabletop é com certeza o modo mais mal pensado do Switch. O pé que fica atrás do console é um plasticozinho sem vergonha que eu sem querer arranquei ao colocar o Switch no dock com o pé aberto já na primeira semana de uso. É uma ideia boa mas executada de uma forma tão ruim que a própria Nintendo parece ciente, antes de lançar o videogame, que as pessoas arrancariam o pé com frequência — há uma mensagem no canal de notícias avisando que, se tu fizer isso e o pé sair do videogame, é só encaixar de novo.

Vale lembrar também que a Nintendo ama amontoar seus videogames em cima das coisas.