Irrelefante

O que eu assisti ontem à noite é um post rápido todas as manhãs com algumas impressões dos filmes e séries que eu assisti na noite anterior.

Um pássaro no peitoril de uma janela em um dia de sol

24 Frames (Abbas Kiarostami, 2017)

Ontem eu pude rever o último filme do meu diretor favorito. Eu escrevi mais sobre ele aqui, quando eu vi ele na Mostra ano passado, e aqui, depois de dar uma chorada ontem.

Eu não tenho muito o que falar sobre ele ainda, eu ainda tô descobrindo o que é 24 Frames, mas ele com certeza é um dos meus filmes favoritos. Ele me emociona ao perceber como o tempo passa rápido e devagar ao mesmo tempo. Como a morte é fria, mas a vida cerca ela. Como a vida continua, como o vento segue em frente. Eu não consigo não me emocionar pensando nesses pequenos significados de 24 Frames, e o que eles parecem sugerir para um diretor no fim de sua vida. O que ele, o filme e o diretor, significam pra mim.

No fim das contas eu fico triste que esse é o último filme do meu diretor favorito. Mas eu fico feliz que ele o fez. 24 Frames vai me acompanhar pro resto da minha vida, e provavelmente vai seguir em frente depois que ela acabar também.