Irrelefante

“O que eu assisti ontem de noite” é um postzinho rápido toda manhã com algumas considerações sobre o que eu assisti na noite anterior, seja filme ou série.

Um homem olha, assustado, em uma sala escura

1977 (2017).

Hm, esse é terrível. A história parece ser muito menor do que o filme quer que ela seja (o efeito dela acaba bem cedo também), e o filme não aproveita o único potencial dela, que é observar o luto e a culpa na cabeça dessa família. 1922 é tão preocupado em querer dizer algo e mostrar algo de maneira criativa que acaba tentando fazer de tudo e não faz nada. É chato, terrivelmente longo pra um filme de um pouco mais de 1h40 e as atuações são terríveis. Nem a fazenda. talvez uma das coisas mais interessantes de se filmar, visto que ela é a própria natureza domada que tenta sempre se libertar de nós, é explorada de um jeito interessante aqui.

Assisti no Netflix.


Uma mulher e sua filha sentadas e visivelmente cansadas em um banco de uma praça

Gilmore Girls, 3x08: Let The Games Begin (2002)

O episódio logo depois do melhor que Gilmore Girls já fez (They Shoot Gilmores, Don’t They?), Let The Games Begin é uma das melhores provas sobre como o episódio anterior é fantástico e suas cicatrizes ficam na série até o final. De um modo mais direto, o episódio começa na manhã seguinte à maratona de dança, e tá todo mundo querendo morrer; e é o primeiro episódio que começa a explorar Lorelai e Luke como um provável casal. Nada de muito especial acontece aqui, mas tem um momento maravilhoso em que o Richard convida as Gilmore pra passear em Yale com uma entrevista “surpresa” pra Rory. No final, as três estão bravas com Richard por motivos diferentes, mas o que ele fez nelas é semelhante: as enganou para conseguir o que queria. A sutileza de Gilmore Girls, nos seus melhores momentos, é uma dádiva.

Assisti no Netflix.