Irrelefante

Todos os posts sobre apps

Poucos sabem mas eu tuito muito., O curioso é que nunca pelo Twitter. Quer dizer, até ser descontinuado em março eu tuitava pelo aplicativo oficial do Twitter para o macOS, meu aplicativo favorito desde 2010.

Desde março eu uso o Tweetbot, tanto pra macOS quanto pra iOS. Eu tenho meus poréns mas no geral é um baita app — desenvolvido cuidadosamente e com qualidade em cada detalhe. Quando ele me irrita, é geralmente porque ele oferece mais recursos no meu caminho do que eu realmente preciso.

Parece que vão ter mais recursos agora, porque a nova versão do Tweetbot foi lançada. Eu gosto da maioria das mudanças, mas a UI tá ainda mais superpopulada de “recursos”. Vou demorar um bocado pra me acostumar de novo.

Nessa ultima semana eu fiquei estudando uma maneira de como postar no blog pelo iPhone, agora que uma boa parte dos meus dias vai ser na estrada.

E pelo visto eu consegui!

Vou postar um pequeno tutorial ainda hoje explicando como eu fiz isso, pra quem quiser experimentar ou expandir a ideia. Aprendi um bocado sobre como os apps se relacionam no iOS com isso.

Highland 2 me ajudou a escrever mais

A Quote-Unquote Apps lançou hoje o Highland 2, a nova versão do seu app de escrever roteiros.

Eu testei o Highland 2 nos últimos meses, e ele me ajudou a voltar a escrever, e a escrever mais. Ano passado eu tive um sério bloqueio de escrita, não só por causa da monografia, e o beta desse app foi uma das coisas que me ajudaram a superar esse bloqueio em março desse ano.

Muito disso veio da fluidez que é escrever no Highland. Ele usa uma linguagem de formatação chamada Fountain, uma espécie de Markdown feito pra escrever roteiros. Antes do Fountain (e do Highland) eu escrevia e formatava roteiros com um modelo que eu fiz no Pages usando uma série de atalhos pra estilizar diálogos, cenas e parentéticos. Com o Fountain, essa formatação é automática através da utilização de alguns caracteres.

Tipo assim: simplesmente escrevendo algo em caixa alta e quebrando a linha depois:

ELIZA
Eu lembro de quando eu e o Miguel…

Faz com que o Fountain “interprete” isso como um nome de personagem e uma fala:

Exemplo de um diálogo formatado no Highland

O mesmo acontece com guias de ação (CORTA ou CONTINUA). O Highland ainda suporta notas e escaletas, então tu pode comentar, apenas colocando o = antes, alguma nota. É algo muito útil pra “guardar” observações que tu tenha durante o teu processo de escrita. Eu tô sempre reconsiderando e revisando meus textos, e uso as notas extensivamente pra guardar ideias que eu possa expandir no roteiro. O Highland faz com que a gente se preocupe mais com as ideias que precisam ser postas na página do que formatar essa página — isso ele faz enquanto a gente escreve. É ótimo e libertador.

Esse tipo de coisa me ajudou a estabelecer um fluxo de escrita, e deixou minhas ideias correrem mais soltas. Claro, o Highland sozinho não salvou o meu dia (foi uma série de coisas, entre elas ler todos os dias antes de trabalhar), mas foi fundamental pra eu manter um ritmo de criar roteirinhos de cinco minutos quase que diariamente. Eu espero publicar alguns deles por aqui.

O Highland 2 está disponível de graça na App Store do macOS. Para recursos avançados, como remoção de marca d’água e modo Sprint (que eu nunca usei), é necessário comprar a versão completa dentro do app, que custa cerca de R$ 100. Valeu a pena pra mim, mas a versão básica já é suficiente pra começar a escrever mais.